Ministério Pessoal

Pense em um grupo de bons amigos que têm um encontro marcado uma vez por semana. O lugar não é tão importante; pode ser em casa de algum deles ou um parque bonito da cidade, mas o que não pode faltar é a alegria de compartilhar bons momentos, experiências e risadas junto a pessoas que se preocupam umas com outras. Isto é um Pequeno Grupo; é amizade, é relacionamento, é conhecer o amor de Jesus a través do amor dos meus amigos, é levar os meus amigos a Jesus.

Dentro de um Pequeno Grupo as pessoas também são motivadas a orar umas pelas outras, estudar detalhadamente a Bíblia, compartilhar experiências da vida ao lado de Cristo e convidar novos amigos a participar também.

foto

Formar parte de um Pequeno Grupo é simples, confira aqui e encontra o mais próximo a você.

clique aqui

O Pequeno Grupo é uma comunidade de pessoas que se reúnem regularmente com objetos comuns afim de crescer na experiência cristã como discípulos de Jesus. É um ambiente que favorece o relacionamento e dá a oportunidade para que todos se conheçam pelo nome, orem uns pelos outros e tenham bons momentos de confraternização. É aberto a pessoas de todas as classes sociais, níveis acadêmicos, etnias e orientações religiosas.

A Bíblia não fala de pequenos grupos exatamente como temos hoje, mas apresenta princípios que se encaixam adequadamente com os pequenos grupos. Alguns desses princípios são:

  1. Princípio da comunidade. Este é o princípio mais claro aplicável aos pequenos grupos. Deus trabalha com o objetivo de criar uma comunidade (que na Bíblia é chamada de povo, rebanho ou igreja) Textos que amparam isso estão em Salmos 77:20, Isaías 40:11, Êxodo 33:16, II Coríntios 6:16 e Mateus 16:18.
  2. Princípio da multiplicação. Na Bíblia, Deus sempre busca um povo para si e este se afasta. Então Ele sempre recomeça com um grupo pequeno de pessoas que vai multiplicar o conhecimento dEle. Uma família ou um número menor de pessoas dentro de um grupo maior. Exemplos: Noé e família, Abraão e família, a tribo de Judá, os doze apóstolos. Neste princípio podemos compreender que Deus prefere recomeçar com um grupo pequeno de pessoas do que a um grupo grande e que essas pessoas ensinadas por Deus se tornam multiplicadoras. Naquele tempo, esses multiplicadores foram chamados para divulger o conhecimento sobre Deus. Hoje não é mais restrito; esse chamado é para todos nós.
  3. Princípio da subdivisão. Muitas vezes, Deus orientou seus servos para dividir o grande grupo em grupos menores para alcançá-los com mais eficiência. Temos, por exemplo, o caso de Moisés e Jetro relatado em Êxodo 18:13-27. Há indicações, também, em Esdras e a leitura da lei, em Neemias 8:1-12 (Esdras leu o livro da lei e seus auxiliares orientaram grupos de pessoas) e Atos 2:5-47. (nesse caso, a multidão foi primeiramente orientada em grupos pelos apóstolos e depois a mensagem foi reforçada em grupos pelos apóstolos e a conservação desses conversos se deu principalmente em grupos nas casas.)
  4. Princípio da liderança compartilhada ou trabalho em equipe. No livro de Atos, várias vezes Deus orientou seus servos para que trabalhassem em equipe. Podemos ver na instituição dos diáconos (Atos 6), para dirigir a igreja. Deus formou os 12 apóstolos para pregar o evangelho aos gentios e Paulo formou uma equipe missionária. É possível ler sobre isso em textos como Atos 13:2, 13; 15:40, 16:3.

Necessidade de relacionamento e sociabilização. Não podemos ser cristãos sozinhos, precisamos de outros para viver o cristianismo em sua plenitude. O isolamento experimentado hoje por muitos é contrário ao princípio estabelecido por Deus que “não é bom que o homem esteja só”. Isso não se aplica apenas no casamento, mas nas relações interpessoais. Talvez seja por isso que existe na Bíblia 52 mandamentos chamados de recíprocos. São os mandamentos dos “uns aos outros”. Esses mandamentos podem ser cumpridos de uma melhor maneira quando estamos em comunidade, em grupos.

Além disso, o Pequeno Grupo é um ambiente favorável para maior apoio espiritual, em que as pessoas se sentem mais confortáveis em abrir seu coração, e pedir oração e intercessão por seus problemas e desafios, em expressar sua gratidão, em testemunhar e em desenvolver seus dons para avanço da obra divina.

Passo 1 – Ore e jejue pelas pessoas que você deseja encontrar em um Pequeno Grupo

O primeiro passo é orar para que Deus dirija esse PG, para que impressione a mente das pessoas e que o local pensado seja o melhor.

Passo 2 – Estruture o ambiente e convide as pessoas com quem há afinidade.

Lembre-se que o PG é um grupo de relacionamentos para salvação, por isso é importante que o ambiente permita bons momentos ali. Não há necessidade de luxo, mas de mínima comodidade. Além disso, procure convidar pessoas com quem você e os demais líderes tenham alguma afinidade (vizinhos, parentes, amigos mais chegados). O PG não é um templo, por isso não é necessário a mesma estrutura existente em uma congregação. Vale a pena que na casa haja lugares suficientes para todos sentarem, talvez algum recurso audiovisual ou instrumento para o louvor, exemplares da Bíblia, um ambiente próprio para crianças e uma boa recepção (anfitriões sorridentes e felizes em receber as pessoas).

Passo 3 – Tenha objetivos bem definidos

Nada permanece por muito tempo sem um objetivo definido. A regra vale para o Pequeno Grupo. Defina bem as intenções com os participantes. O ideal é que o PG nasça com a missão de ajudar todos a se desenvolver mais espiritualmente e tomar decisões por Cristo. Não é local apenas para um encontro social, mas espiritual e com finalidade missionária.

Oração – essencial para manutenção espiritual do grupo

Sorrisos – é lugar de alegria e otimismo e não desânimo

Estudo da Bíblia – é ambiente para se conhecer mais a vontade de Deus

Testemunhos – é local ideal para que as pessoas compartilhem ótimas experiências espirituais

Louvor – em um Pequeno Grupo a música é ingrediente importante para que o nome de Deus seja louvado.

“De que vale ao homem, a qualquer homem, ganhar o mundo inteiro e por inteiro se perder…”
Paulo César Baruk.



comments powered by Disqus

WordPress Video Lightbox