Igreja Adventista do Sétimo Dia

Jejum sem fome

“Cumpre-nos buscar agora uma experiência profunda e viva nas coisas de Deus. Não temos um momento a perder”

Dan Sems | Secretário ministerial da União Pacífico Norte, Estados Unidos

Nossa igreja estava planejando um ano de evangelismo agressivo e eu sabia que necessitávamos obter sabedoria e direção de Deus, antes de qualquer outra coisa. Pedi ao nosso primeiro ancião que nos ajudasse a conduzir uma semana de oração e jejum. Ele me olhou um tanto assustado, como se quisesse perguntar: “Acaso, não iremos todos morrer de fome, se ficarmos uma semana sem comer?”

Antecipando-me a essa preocupação, eu lhe disse que o capítulo 58 do livro de Isaías nos diz que o verdadeiro jejum é mais que abstinência de alimentos. Minha idéia era pedir a Deus que nos impressionasse a “jejuar” de algum hobby, prática ou hábito rotineiro, de modo que tivéssemos mais tempo para comungar com Ele e realizar Seu trabalho. Eu tinha certeza de que o Senhor nos levaria a abster-nos de qualquer coisa que se mostrasse intrusa entre nós e Ele.

“Considerando que nunca fizemos isso antes, o que você sugere que façamos?”, perguntou o ancião. “Vamos fazer exatamente isso”, eu respondi. “Primeiramente, vamos pedir a Deus que nos mostre de que coisa nós devemos jejuar. Então, no primeiro sábado do mês, dedicaremos uns dez minutos do período dos anúncios, para contar à congregação nossa experiência e desafiá-la a fazer o mesmo.”

“Posso fazer isso”, ele disse. Em acréscimo, lhe pedi que no segundo sábado também dedicasse tempo, a fim de que os irmãos pudessem testemunhar sobre o que Deus lhes proporcionasse durante a semana. Eles também deveriam ser aconselhados a telefonar para outros irmãos, ou se reunirem para oração e encorajamento mútuo. O sorriso estampado no rosto do ancião revelava a vibração com que acatou o projeto.

Mãos à obra

Finalmente, chegou o primeiro sábado. No momento certo, durante o desenrolar do programa, o primeiro ancião foi à frente e disse: “Estamos iniciando um novo ano. Como líderes da igreja, estamos convocando cada membro de nossa congregação para dedicar a próxima semana à oração e ao jejum. Isso não significa ter que ficar uma semana sem comer. Apenas peça a Deus que lhe mostre algum hobby, prática ou hábito a que você precisa renunciar, a fim de permanecer mais perto dEle, em comunhão. No próximo sábado, dedicaremos tempo para ouvir testemunhos a respeito do que Deus lhes proporcionará nesta semana. Podem se reunir em grupos de oração, ou telefonar uns para os outros, a fim de se animarem.

Passou a semana e chegamos ao segundo sábado. Como fora anunciado, dedicamos algum tempo da programação para os testemunhos. Inicialmente, houve certa hesitação, mas algumas pessoas começaram a levantar a mão, solicitando o microfone sem fio, desejando partilhar suas experiências.

A primeira pessoa a falar foi um programador de computação. Disse ele: “Sempre tive como hábito acessar a internet antes de começar o trabalho, gastando diariamente pouco mais de meia hora na leitura das notícias. O Senhor me impressionou a suspender essa prática por uma semana e investir o tempo no estudo da Bíblia e na oração. Não foi fácil, no início, mas no fim da semana pude sentir quão incrivelmente magnífico foi passar algum tempo com Deus. Estou decidido a continuar fazendo isso.”

Uma senhora, no outro lado da nave, levantou-se e também testemunhou: “Deus me impressionou a suspender o uso do café por uma semana. Todos nós sabemos que esse produto não é benéfico à saúde, mas alguns de nós ainda fazemos uso dele. No terceiro dia, senti uma dor de cabeça horrível, que foi aliviada gradualmente. Estou decidida a permanecer livre do café, e planejo empregar o tempo extra e o dinheiro economizado para ajudar uma amiga que no momento está enfrentando grande crise.”

Depois de ouvirmos alguns testemunhos mais, o primeiro ancião me cochichou: “Acho que não devemos alongar os testemunhos. Você precisa de tempo suficiente para o sermão”, e eu lhe respondi que não se preocupasse comigo. O sermão daquele dia já estava sendo pregado, e o tema era a transformação operada por Deus naqueles corações e vidas.

Podemos fazer muitas coisas, a fim de preparar a igreja para o evangelismo e a colheita. Mas, naquela manhã de sábado, fiquei convencido de que aquela foi a melhor maneira de começar a campanha. Deus já tinha tocado o coração de todos quantos desejavam levar pessoas a Ele.

Tempo oportuno

“Estamos vivendo no período mais solene da história deste mundo. O destino das imensas multidões da Terra está prestes a decidir-se. Nosso próprio bem-estar futuro, e também a salvação de outras almas, dependem do caminho que ora seguimos. Necessitamos ser guiados pelo Espírito da verdade. Todo seguidor de Cristo deve fervorosamente indagar: ‘Senhor, que queres que eu faça?’ Necessitamos humilhar-nos perante o Senhor, com jejum e oração, e meditar muito em Sua Palavra, especialmente nas cenas do juízo. Cumpre-nos buscar agora uma experiência profunda e viva nas coisas de Deus. Não temos um momento a perder. Acontecimentos de importância vital estão a ocorrer em redor de nós; estamos no terreno encantado de Satanás. Não durmais, sentinelas de Deus; o adversário está perto, de emboscada, pronto para a qualquer momento, caso vos torneis negligentes e sonolentos, saltar sobre vós e fazer-vos presa sua.”1

“O Senhor nos deu a promessa: ‘Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada.’ É o plano de Deus, que os que têm responsabilidades se reúnam muitas vezes para se aconselharem entre si, e orarem pedindo aquela sabedoria que somente Ele pode comunicar. Falem menos; muito tempo precioso é perdido em conversas que não trazem luz. Reúnam-se os irmãos com jejum e oração em busca da sabedoria que Deus prometeu fornecer liberalmente. Levem ao conhecimento de Deus as vossas dificuldades. Digam-Lhe, como Moisés: ‘Eu não posso guiar a este povo, a não ser que a Tua presença vá comigo.’ E então, peçam ainda: ‘Rogo-Te que me mostres a Tua glória.’ Que é essa glória? – O caráter de Deus. Foi isso que Ele proclamou a Moisés.”2

“Agora e daqui por diante até ao fim do tempo, deve o povo de Deus ser mais fervoroso, mais desperto, não confiando em sua própria sabedoria, mas na sabedoria de seu Líder. Devem pôr de parte dias de jejum e oração. Pode não ser requerida a completa abstinência de alimento, mas devem comer moderadamente, do alimento mais simples.”3

O início do ano é ocasião excelente para convocar a igreja a buscar uma experiência de consagração a Deus. Descobri que uma semana de oração e jejum é um recurso maravilhoso para obtenção de poder e saúde espiritual, a fim de trabalharmos em favor da comunidade que nos cerca, encaminhando crianças, jovens e adultos para o reino de Deus.

Referências:

1 Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 601.

2 ___________, Obreiros Evangélicos, p. 417.

3 ___________, Eventos Finais, p. 82.

WordPress Video Lightbox Plugin