Música

O Papel da Música

A música é um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais.

A música é um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais.

O PAPEL DA MÚSICA

O poder do Canto – A história dos cânticos da Bíblia está repleta de sugestões aos usos e benefícios da música e do canto. A música, muitas vezes, é pervertida para servir a fins maus, e assim se torna um dos poderes mais sedutores para a tentação. Corretamente empregada, porém, é um dom precioso de Deus, destinado a erguer os pensamentos a coisas altas e nobres, a inspirar e elevar a alma.

Assim como os filhos de Israel, jornadeando pelo deserto, suavizavam pela música de cânticos sagrados a sua viagem, Deus ordena a Seus filhos hoje que alegrem a sua vida peregrina. Poucos meios há eficientes para fixar Suas palavras na memória do que repeti-las em cânticos. E tal cântico tem maravilhoso poder. Tem poder para subjugar as naturezas rudes e incultas; poder para suscitar pensamentos e despertar simpatia, para promover a harmonia de ação e banir a tristeza e os maus pensamentos, os quais destroem o ânimo e debilitam o esforço.

É um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com as verdades espirituais. Quantas vezes à alma oprimida e pronta a desesperar, vêm à memória algumas das palavras de Deus – as de um estribilho, há muito esquecido, de um hino da infância – e as
tentações perdem o seu poder, a vida assume nova significação e novo propósito e o ânimo e a alegria se comunicam a outras almas!

Nunca se deve perder de vista o valor do canto como meio de educação. Que haja cântico no lar, de hinos que sejam suaves e puros e haverá menos palavras de censura e mais de animação, esperança e alegria. Haja canto na escola e os alunos serão levados para mais perto de deus, dos professores e uns dos outro.

Como parte do culto, o canto é um ato de adoração tanto como a oração. Efetivamente, muitos hinos são orações. – Educação, pp. 166 e 167

Uma arma contra o desânimo – Caso houvesse muito mais louvor ao senhor, e muito menos repetição de desânimos, muito mais vitórias seriam obtidas. – carta 53, 1896 (Evangelismo, p. 499).

Que o louvor e ações de graças sejam expressos em cânticos. Quando tentados, em lugar de dar expressão a nossos sentimentos, ergamos pela fé um hino de graças a Deus.

O canto é uma arma que podemos empregar sempre contra o desânimo. Ao abrirmos assim o coração à luz da presença do Salvador, teremos saúde e sua bênção. A Ciência do Bom Viver, pp. 218 e 219 ( 1905).

Para imprimir verdades Espirituais – O canto é um dos meios mais eficazes para impressionar o coração com verdades espirituais. Com frequência, através das palavras de um cântico sagrado, fontes de arrependimento e fé têm brotado. Review and Herald, 6 de junho de 1912.

Um dos meios para conservar a experiência cristã – À noitinha e pela manhã uni-vos aos vossos filhos no culto de Deus, lendo Sua palavra e cantando Seu louvor. Ensinando-os a repetir a lei de Deus. Os israelitas eram ensinados acerca dos mandamentos: “E as intimarás ( as palavras) aos teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.” Conseguintemente, Moisés dirigiu os israelitas a porem as palavras da lei em música.

Se era essencial que Moisés incorporasse os mandamentos em canto sagrado, de modo que, enquanto caminhavam pelo deserto, os filhos aprendessem a cantar a lei verso por verso, quão essencial é, no tempo atual, ensinar a nossos filhos a palavra de Deus! Vamos nós em socorro do Senhor, instruindo nossos filhos a observarem os mandamentos ao pé da letra. Façamos tudo quanto nos é possível para fazer música em nosso lar, para que Deus possa aí entrar. Review and Herald, 8 de setembro de 1904. (Evangelismo, pp 499 e 500).

Tornai vosso trabalho agradável. Orientação da Criança, p. 148.
Tornai vosso trabalho agradável por meio de cânticos de louvor.

Afasta o inimigo – Vi que diariamente devemos erguer e manter domínio sobre os poderes das trevas. Nosso Deus é poderoso. Vi que o cântico que glorifica a Deus afasta, com freqüência, o inimigo e que louvar o Senhor o derrotaria e nos daria a vitória. Carta
5, 1850.

O Cântico ajudava Jesus a resistir o inimigo – Quando Cristo era criança como estas aqui, era tentado a pecar, porém não cedia à tentação. Ao ter mais idade, era tentado, mas os cânticos que Sua mãe lhe ensinara acudiam-lhe à mente, e Ele erguia a voz em louvor. E antes de os companheiros se aperceberem, estavam cantando com Ele. Deus quer que nos sirvamos de toda facilidade que o Céu tem providenciado para resistir ao inimigo. Manuscrito 65, 1901 ( Evangelismo, p. 498).

Produzindo Alegria Celeste – O alvorecer encontrava-O muitas vezes em algum lugar retirado, meditando, examinando as Escrituras ou em oração. Com cânticos saudava a luz matinal. Com hinos de gratidão alegrava Suas horas de labor e levava alegria celeste ao cansado e ao abatido. A Ciência do Bom Viver, p. 42 ( 1905).

Ele entoava cânticos de louvor – Exprimia frequentemente o contentamento que Lhe ia no coração, cantando salmos e hinos celestiais. Muitas vezes ouviam moradores de Nazaré Sua voz ergue-se em louvor e ações de graças a Deus. Entretinha em cânticos comunhão com o céu; e quando os companheiros se queixavam da fadiga do trabalho, eram animados pela doce melodia de Seus lábios. Dir-se-ia que Seu louvor bania os anjos maus e, como incenso, enchia de fragrância o lugar em que Se achava. O espírito dos ouvintes era afastado de seu terreno exílio, para o lar celestial. O Desejado de Todas as Nações, p. 63.

 

Conselhos Sobre a Música

Ellen G. White
Compilado por: Arthur L. White

O povo do advento, qual peregrinos neste mundo, avança em direção a um mundo melhor. O futuro parece irromper já no presente; pois seu coração transborda de júbilo e sua experiência se reflete em seus cânticos. Embora não se questiona a importância da música na experiência cristã, discussões têm surgido quanto ao critério de sua seleção. – Deveríamos entoar apenas hinos tradicionais do cristianismo ou poderíamos acompanhar também a evolução musical de nossos dias? É a escolha da música uma questão individual ou existem critérios a serem seguidos?
A questão se afigura realmente complexa e de difícil solução; mas, nesta compilação podem ser encontrados alguns princípios relevantes, extraídos dos escritos de Ellen White, que permitirão uma avaliação mais detida do assunto, provendo critérios adequados para a seleção da música ouvida e executada em nosso meio.

Alberto Ronald Timm
Diretor Associado do White Estate

 

WordPress Lightbox