Música

Atributos Desejáveis

A voz humana no canto é um dos talentos dados por Deus para ser empregado para Sua glória.

A voz humana no canto é um dos talentos dados por Deus para ser empregado para Sua glória.

ATRIBUTOS DESEJÁVEIS

Entoação clara – Pronúncia distinta – Palavras não podem expressar adequadamente a profunda santidade do louvor genuíno. Quando seres humanos cantam com o Espírito e a compreensão, músicos celestes apreendem os acordes e unem-se no cântico de louvor. Aquele que nos tem concedido todos os dons que nos capacitam a ser coobreiros com Deus, espera que Seus servos cultivem suas vozes, a fim de que possam falar e cantar de modo que todos compreendam. Não é necessário um cântico ruidoso, mas entoação clara, pronúncia correta e expressão vocal distinta. Que haja tempo para o cultivo da voz de modo que o louvor a Deus possa ser entoado em tons claros e suaves, não com aspereza e estridência que ofendem o ouvido. A habilidade de cantar é um dom de Deus; que seja para Sua glória. Testimonies, vol. 9, pp. 143 e 144 ( 1909)

Fatores na Eficácia da Música – A música pode ser um grande poder para o bem; contudo, não tiramos o máximo proveito desta parte do culto. O cântico é geralmente originado do impulso ou para atender a casos especiais, e em outras vezes, os que cantam o fazem mal, e a música perde o devido efeito sobre a mente dos presentes. A música deve possuir beleza, poder e faculdade de comover. Ergam-se as vozes em cânticos de louvor e adoração. Que haja auxílio, se possível, de instrumentos musicais e a gloriosa harmonia suba a Deus em oferta aceitável. Mas, às vezes, é mais difícil disciplinar os cantores e mantê-los em forma ordeira, do que desenvolver hábitos de oração e exortação. Muitos querem fazer as coisas à sua maneira. Não concordam com deliberações, e são impacientes sob a liderança de alguém. No serviço de Deus se requerem planos bem amadurecidos. O bom senso é coisa excelente no culto do Senhor. Obreiros Evangélicos, p. 325 ( 1892) (Evangelismo, p. 505).

Um poder para ganhar almas – Há muita emoção e música na voz humana, e se o aluno fizer decididos esforços, adquirirá hábitos de falar e de cantar que lhe serão uma força no ganhar almas para Cristo. Manuscrito 22, 1886 ( Evangelismo, p. 504)

A qualidades para a boa música – Pode-se fazer grande aperfeiçoamento no canto. Pensam alguns que, quanto mais alto cantarem, tanto mais música fazem; barulho, porém, não é música. O bom canto é como a melodia dos pássaros – dominado e melodioso.

Tenho ouvido em algumas de nossas igrejas, solos que eram de todo inadequados ao culto da casa do Senhor. As notas longamente puxadas e os sons peculiares, comuns nos cantos de óperas, não agradam aos anjos. Eles se deleitam em ouvir os simples cantos de louvor entoados em tom natural. Os cânticos em que cada palavra é pronunciada claramente, em tom harmonioso, eis os que eles se unem a nós em cantar. Eles tomam o estribilho entoado de coração com o espírito e o entendimento. Manuscrito 91, 1903 (Evangelismo pp. 510 e 511)

Com solenidade e reverência – A melodia do canto, derramando-se dos corações num tom de voz claro e distinto, representam um dos instrumentos divinos na conversão de almas. Todo o serviço deve ser efetuado com solenidade e reverência, como se fora feito na presença pessoal de Deus mesmo. Testemunhos Seletos, vol. 2 p. 195.

Com melodia e distinção – Alegro-me que a música tenha sido trazida para a escola de Healdsburg. Em cada escola a instrução no canto é grandemente necessária. Deveria haver mais interesse na cultura da voz do que é agora em geral manifestado. Os alunos que têm aprendido a cantar os suaves hinos do evangelho com melodia e clareza, podem fazer muito bem como cantores evangelistas. Eles encontrarão muito ensejo de empregar o talento que Deus lhes deu, levando melodia e claridade a muito lugar solitário e entenebrecido pelo pecado e a dor e aflição, cantando para aqueles que raramente têm os privilégios da igreja.

Alunos, ide a caminhos e valados. Empenhai-vos por alcançar tanto as classes mais ricas como as mais pobres. Entrai nos lares de ricos e humildes e assim que tiverdes oportunidade, perguntai: “Poderíamos cantar para vosso deleite? Ficaríamos alegres se pudéssemos ter um serviço de canto convosco” Deste modo, à medida que os corações se suavizam, o caminho pode-se abrir para que possais oferecer algumas palavras de prece pela bênção de Deus. Poucos recusarão.

Tal ministério é um genuíno trabalho missionário. Deus deseja que cada um de nós converta-se e aprenda a se engajar em esforços missionários de modo diligente. Ele nos abençoará neste serviço pelos outros e veremos Sua salvação. Review and Herald, 27 de agosto de 1093 ( Trechos em Evangelismo, p. 504)

Um dos talentos dados por Deus – A voz humana no canto é um dos talentos dados por Deus para ser empregado para Sua glória. O inimigo da justiça faz muito caso desse talento em seu serviço. E aquilo que é um dom de Deus para ser uma bênção às almas, é pervertido, mal aplicado e serve ao desígnio de Satanás. Este talento da voz é uma bênção, uma vez que seja consagrado ao Senhor para servir em Sua causa. Carta 62, 1893 ( Evangelismo, p. 498).

Coro e Cântico Congregacional – Em reuniões realizadas, que alguns sejam escolhidos para tomar parte no serviço de canto. E que o canto seja acompanhado de instrumentos musicais habilmente tocados. Não devemos nos opor ao uso de música instrumental em nossa obra. Essa parte deve ser cuidadosamente conduzida, pois é louvor a Deus em canto.
Nem sempre poucos devem tomar parte no serviço de canto. Tanto quanto possível que toda a congregação se una em louvor. Testimonies, vol 9, p. 144 ( 1909).

O Serviço de Canto – O canto não deve ser feito apenas por uns poucos. Todos os presentes devem ser estimulados a tomar parte no serviço de canto. Carta 157, 1902 (Evangelismo, p. 507).

Instrumentos de Música – Seja o talento do canto introduzido na obra. O emprego de instrumentos de música não é absolutamente objetável. Eles eram usados nos serviços religiosos dos antigos tempos. Os adoradores louvavam a Deus coma harpa e o címbalo, e a música deve ter seu lugar em nosso cultos. Isto acrescentará o interesse. Carta 132, 1898 ( Evangelismo, p. 501).

Música instrumental na Conferência geral de 1905 – Alegro-me de ouvir os instrumentos musicais que tendes aqui. Deus quer que os tenhamos. Quer que O louvemos, de alma e coração e como a nossa voz, engrandecendo Seu nome perante o mundo. Review and Heral , 15 de junho de 1905 ( Evangelismo, pp. 503 e 504).

 

Conselhos Sobre a Música

Ellen G. White
Compilado por: Arthur L. White

O povo do advento, qual peregrinos neste mundo, avança em direção a um mundo melhor. O futuro parece irromper já no presente; pois seu coração transborda de júbilo e sua experiência se reflete em seus cânticos. Embora não se questiona a importância da música na experiência cristã, discussões têm surgido quanto ao critério de sua seleção. – Deveríamos entoar apenas hinos tradicionais do cristianismo ou poderíamos acompanhar também a evolução musical de nossos dias? É a escolha da música uma questão individual ou existem critérios a serem seguidos?
A questão se afigura realmente complexa e de difícil solução; mas, nesta compilação podem ser encontrados alguns princípios relevantes, extraídos dos escritos de Ellen White, que permitirão uma avaliação mais detida do assunto, provendo critérios adequados para a seleção da música ouvida e executada em nosso meio.

Alberto Ronald Timm
Diretor Associado do White Estate

WordPress Lightbox