Ministério da Mulher

Como praticar o jejum espiritual?

↓ Perguntas Frequentes ↓

Como deve ser a preparação para um jejum?

O jejum é uma atividade com objetivo espiritual que afeta o corpo como um todo em seus componentes físico e mental. A abstinência de alimentos pode ser mais fácil para algumas pessoas do que para outras. Por essa razão é importante conhecer o próprio corpo e seus limites antes de pensar em fazer um jejum. Se você já decidiu jejuar, leve em consideração este ponto alguns dias antes da data separada para jejuar. Primeiro, é importante manter o corpo bem nutrido e hidratado. Também é importante ter uma alimentação variada com cereais integrais, feijões, castanhas, frutas e hortaliças deve ser previamente. No preparo para o jejum não pode faltar um bom suprimento de líquidos na forma de frutas, sucos, caldos, hortaliças e água pura. É também importante consumir alimentos que contenham carboidratos, tais como cereais, pães e massas integrais.

O que acontece com o corpo durante o jejum aliado à reflexão espiritual?

Durante o jejum de curta duração, por não estar envolvido com o trabalho da digestão de alimentos o organismo pode concentrar os seus esforços em atividades de cunho intelectual, como estudo da bíblia, louvor, meditação e a oração. Além dos benefícios espirituais, o jejum periódico é um excelente exercício de refinamento e controle do apetite e da prática da temperança em geral. É importante recordar o impacto do apetite sobre a queda do homem. O descontrole do apetite continua sendo a causa da ruína de muitos devido às várias doenças que são consequências de hábitos alimentares inadequados.

Há pessoas que defendem o jejum completo, outras o jejum apenas de alimentos sólidos, tolerando o consumo de sucos por exemplo. Do ponto de vista da nutrição, qual seria o jejum correto?

Do ponto de vista nutricional, o jejum pode ser definido como um jejum total (abstinência completa de alimentos por um determinado período de tempo), ou parcial (abstinência de determinados alimentos ou grupos de alimentos, mantendo-se a ingestão de algum alimento como fonte de energia, como por exemplo um jejum de frutas ou sucos). Do ponto de vista do jejum como exercício espiritual, não podemos impor como deve ser o jejum correto em termos de ser parcial ou total. Cada pessoa deve tomar a sua decisão sem criticar a escolha do outro, e sem o espírito de comparação e sim com o coração em contrição perante Deus (Mateus 6:16-18).

Quais as restrições em relação ao jejum?

As restrições em relação ao jejum variam de acordo com o tipo e duração do mesmo. Se for um jejum total, há restrições para pessoas com diabetes tipo 1, já que pode levar a quedas perigosas nos níveis de açúcar no sangue; diabetes tipo 2 em pessoas que façam uso de medicamentos ou insulina para o controle da glicose e que não tenham conhecimento de como fazer os ajustes necessários em caso de jejum, e sem autorização médica. O jejum total é também desaconselhável para mulheres grávidas ou lactantes; pessoas com doenças crônicas (câncer, doenças cardíaca, insuficiência renal, cirrose, etc); enfermos sem autorização médica; crianças; indivíduos empenhados em atividades físicas intensas durante o período em que o jejum ocorreria (ex.atletas, trabalhadores rurais, pedreiros, etc); indivíduos empenhados em atividades que exigem grande esforço mental durante o período em que o jejum ocorreria (ex.num dia de vestibular ou concurso); pessoas muito idosas sem autorização médica e pessoas que façam uso de medicamentos que requeiram a presença de alimentos durante o período em que o jejum ocorreria. Deve-se também desencorajar o jejum total em indivíduos que apresentem preocupação excessiva com a sua imagem corporal pelo risco de desencadearem um transtorno alimentar como a anorexia nervosa, especialmente na fase da adolescência. Se for um jejum parcial, as restrições ao jejum descritas são negociáveis, dependendo das condições de cada um.

Fonte: Programa Vida e Saúde – TV Novo Tempo

«
Anterior
»
Próximo
WordPress Video Lightbox