Jovens

J.A. 07/Nov. Diversidade cultural e racismo

“Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão” (Provérbios 17:17).


LOUVOR
Quando eu olho pra você – CD Jovem 2007 Em família – CD Jovem 2002
Em um só coração – CD Jovem 2

TESTEMUNHO

MARTIN LUTHER KING Jr. foi um importante pastor protestante dos Estados Unidos. Ele se tornou um dos mais destacados líderes do movimento dos direitos civis dos negros em seu país e também no mundo. Seu discurso e sua campanha combatiam a violência e incentivavam o amor ao próximo.

Por combater a desigualdade racial, Martin Luther King ganhou, no dia 14 de outubro de 1964, o Prêmio Nobel da Paz e quatro anos depois foi assassinado. Ele recebeu postumamente a Medalha Presidencial da Liberdade, em 1977 e a Medalha de Ouro do Congresso em 2004.
ORAÇÃO INTERCESSORA
Neste momento de oração é importante pedir a Deus que quebre as algemas do preconceito nas suas formas mais va- riadas. Ore pedindo sabedoria para lidar bem com as pessoas diferentes ou frente à situações desconhecidas. Que possamos ter a coragem de defender o que é correto com respeito e amor.

MENSAGEM
“É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito” (Albert Einstein). Entender que em Cristo somos um, faz-nos conscientes de que preconceito é pecado. “Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus (Gálatas 3:28).
“Mas há uma objeção ao casamento da raça branca com a preta. Todos devem considerar que não têm o direito de trazer à sua prole aquilo que a coloca em desvantagem; não têm o direito de lhe dar como patrimônio hereditário uma condição que os sujeitariam a uma vida de humilhação. Os filhos desses casamentos mistos têm um sentimento de amargura para com os pais que lhes deram essa herança para toda a vida” (Mensagens Escolhidas, vol.2, págs. 343).
PALAVRAS DE LEANDRO QUADROS – NOVO TEMPO www.novotempo.com/namiradaverdade
O conselho que Ellen White deu no sentido de não haver casamento entre brancos e negros, precisa ser entendido à luz da sociedade e da cultura do século passado, particularmente nos EUA. Naquele país o racismo era enorme. Vemos que homens como Martin Luther King e outros tiveram que lutar bravamente para desfazer o preconceito racial.

Entendendo a cultura da sociedade de sua época, Ellen White, expressou algo incontestável: “que os filhos de uniões mistas sofreriam muito”.Devido a isso ela mencionou que recebeu no início de seu ministério “orientação do Senhor” de que os pais não tinham o direito de dar aos filhos esta herança de humilhações. Felizmente a sociedade mudou para melhor neste aspecto de segregação racial. Hoje os filhos de casamentos mistos não são mais objeto de tanta discriminação.

Precisamos lembrar que os escritos de qualquer pessoa, sejam dos escritores bíblicos, seja de Ellen White, precisam ser estudados no contexto em que eles foram produzidos. Se não fizermos isto estaremos sendo injustos com a pessoa que não está presente para defender-se.

Um apelo de sua pena, em 1891, seguido em 1895 e 1896 por artigos publicados na Review and Herald, estimulou os esforços educacionais e evangelísticos em favor dos negros e deu origem a uma obra na qual seu próprio filho, Tiago Edson, tomou parte ativa. Ele produziu um livro que seria usado para (1) levantar fundos (2) ensinar analfabetos a ler e (3) ensinar as verdades bíblicas em linguagem simples. Ele fazia uso de um barco (Morning Star) para evangelizar os descendentes dos escravos.

White estava interessada no desenvolvimento de esforços missionários que produzisse eficientes resultados em comunidades brancas e negras e enviou aos obreiros desse campo muitas mensagens de conselho e ânimo. Além disso, ela salientou de modo claro que “O nome do negro está escrito no livro da vida, junto do nome do branco. Todos são um em Cristo. O nascimento, a posição, nacionalidade ou cor não podem elevar nem degradar os homens. O caráter é que faz o homem. Se um pele-vermelha, um chinês ou africano rende o coração a Deus em obediência e fé, Jesus não o ama menos por causa de sua cor. Chama-lhe Seu irmão muito amado”. Além disso, afirmou que os que “menosprezam um irmão por causa de sua cor estão menosprezando a Cristo”.

“Se vocês de fato obedecerem à lei real encontrada na Escritura que diz: “Ame o seu próximo como a si mesmo”, estarão agindo corretamente. Mas se tratarem os outros com favoritismo, estarão cometendo pecado e serão condenados pela Lei como transgressores” (Tiago 2:8-9).

ESPÍRITO DE PROFECIA
“Somos uma irmandade. Não importa qual o ganho ou a perda, temos de agir nobre e corajosamente à vista de Deus e de nosso Salvador. Que nós, como cristãos que aceitam o princípio de que todos os homens, brancos e negros, são livres e iguais, adotemos este princípio, e não sejamos covardes em face do mundo, e em face dos seres celestiais… E podemos agora, por preceito e pelo exemplo, ganhar outros para o mesmo procedimento” (Mensagens Escolhidas, volume 2, pág. 343).

MÃO NA MASSA
Louvor: Convide pessoas com origens diferentes para conduzir o momento de louvor. No intervalo entre as músicas, cada um pode comentar alguma curiosidade ou costume de sua região.
Testemunho: Busque semelhanças entre o discurso de Martin Luther King com o discurso de Jesus e apresente-os à igreja de maneira interessante e dinâmica.
Oração Intercessora: Esta será uma excelente oportunidade de orar pelos missionários que estão servindo a Deus ao redor do mundo. Que Deus possa protegê-los de qualquer tipo de preconceito e ajudá-los a adaptar-se a uma nova cultura.

Mensagem: Uma forma interessante de apresentar o as- sunto seria imitando um programa televisivo de entrevista ou fazendo uma mesa redonda. Os comentários e perguntas dos presentes podem ser enviados a um jovem escolhido como moderador via celular.

WordPress Video Lightbox