Comunicação

Notícias referentes a decisões administrativas da Igreja Adventista

Imagem: Shutterstock

Transmitir as deliberações oficiais da Igreja Adventista de modo objetivo, intencional e positivo é uma importante tarefa que recai sobre os veículos denominacionais de comunicação. Para que isso ocorra, é necessário atentar para alguns detalhes importantes, a fim de que o compartilhamento da informação seja um instrumento de unidade e promoção da missão da igreja.

Na Bíblia, o relato de Atos 15:1 a 29 parece apresentar princípios oportunos para nortear a prática da igreja em informar aos membros suas decisões administrativas. O texto narra o Concílio de Jerusalém e está estruturado da seguinte maneira: (1) a questão em debate (no caso, a circuncisão dos gentios e a observância das leis cerimoniais) (v. 1-5); (2) as considerações de Pedro (v. 6-11); (3) o relatório de Paulo e Barnabé sobre o trabalho com os gentios (v. 12); (4) a proposta de Tiago (v. 13-21); e (5) o relatório final com o voto tomado (v. 22-29).

Alguns detalhes dessa narrativa chamam atenção: (1) o autor faz uma apresentação geral do tema em debate; (2) as posições em torno do tema principal são narradas sem atribuição de juízo de valor; (3) a decisão do concílio é descrita de modo direto, sem justificativas adicionais; e (4) não se menciona a reação dos votantes favoráveis à posição vencida no concílio.

Essas características podem ser encontradas no primeiro relatório administrativo publicado em um periódico oficial adventista do sétimo dia. Em outubro de 1861, a Review and Herald publicou a ata de constituição da primeira Associação local, no estado de Michigan. A cada tema apresentado no relatório seguiam-se as considerações principais e o respectivo voto. A proposta de se publicar a ata na Review foi apresentada por Tiago White e aceita pelos delegados reunidos.

A própria ata de estabelecimento da Associação Geral foi publicada na Review, em 26 de maio de 1863. Além dos artigos da constituição, a ata apresentou os votos tomados, destacando apenas as considerações de temas mais sensíveis, como a rejeição de Tiago White à indicação para a presidência da Associação Geral e o relatório da Igreja Adventista quanto à idoneidade deste líder, diante de algumas acusações levantadas publicamente contra ele.

Em anos posteriores, a Review publicou as atas das assembleias gerais da Igreja Adventista baseando-se nas experiências da Associação de Michigan e da constituição da Associação Geral. Em 1888, porém, os delegados da igreja, reunidos em Mineápolis, deliberaram sobre a necessidade de se publicar um boletim diário de cada assembleia geral dos adventistas.

A ata apresenta o assunto nas seguintes palavras: “Considerando que agora os delegados sentem a necessidade de um Boletim diário com os procedimentos da Assembleia Geral; Considerando que existem milhares de pessoas que não podem comparecer à Assembleia Geral, mas que desejam ansiosamente saber o que é feito no dia a dia e que anelam relatos mais completos do que o relatório do secretário sobre os procedimentos adotados; Resolvido que é o entendimento deste órgão que o Boletim Diário da Assembleia Geral deve ser publicado em todas as sessões da Assembleia; que deve ser de tamanho suficiente para admitir a inserção não apenas de um relato completo de todas as reuniões administrativas, mas também de um esboço dos principais sermões pregados e da instrução geral dada; e que no início de cada ano a Comissão da Associação Geral escolha um editor e faça todos os outros arranjos necessários para o Boletim, a fim de que o preço possa ser divulgado, e uma lista de assinaturas assegurada com antecedência” (Seventh-day Adventist General Conference Bulletin, 2/11/1888, p. 2).

Os boletins começaram a ser publicados na sequência, como edição extra da Review, considerando as sugestões da proposta acima mencionada e seguindo a estrutura básica a cada ponto discutido: considerações, proposta e voto. A partir de 1899, as edições passaram a conter a transcrição das principais discussões referentes aos trabalhos das comissões constituídas na Assembleia Geral.

A partir do precedente bíblico e da prática centenária adotada pela Igreja Adventista, é possível estabelecer alguns critérios para publicação de notícias referentes a decisões administrativas da igreja.

 

Princípios editoriais

  1. Ao divulgar notícias referentes a decisões administrativas da Igreja Adventista, devemos ser objetivos na apresentação do tema em questão.
  2. Quando houver posições diferentes em torno do assunto, elas devem ser mostradas sem atribuição de juízo de valor. O escritor, editor ou jornalista deve mostrar imparcialidade em seu material e evitar defender seus pontos de vista particulares.
  3. A decisão tomada deve ser apresentada de modo direto, sem justificativas adicionais.
  4. Quando o assunto suscitar posições antagônicas, não se deve mencionar a reação daqueles que tiveram sua opinião vencida, evitando assim a polarização.
  5. Não cabe aos órgãos denominacionais de comunicação discutir os méritos em torno das decisões tomadas. A apresentação da notícia sobre os procedimentos administrativos deve servir para fortalecer a unidade e promover a missão da igreja.

 

Bibliografia

The Michigan Conference of Seventh-day Adventists. Doings of the Battle Creek Conference, Oct. 5 & 6, 1861, Review and Herald, 8/10/1861. Disponível em: <https://tinyurl.com/y3uthbwn>.

 

General Conference of Seventh-day Adventists. Report of General Conference of Seventh-day Adventists, Review and Herald, 26/5/1863. Disponível em: <https://tinyurl.com/yyholyb6>.

 

General Conference of Seventh-day Adventists. The Daily Bulletin of the General Conference, 2/11/1888. Disponível em:  <https://tinyurl.com/y5oalz5u>.

 

General Conference of Seventh-day Adventists. The Daily Bulletin of the General Conference, 18/10/1889. Disponível em:  <https://tinyurl.com/y6nlsjwg>.

WordPress Image Lightbox