Comunicação

Atividades Esportivas

Imagem: Shutterstock

Entre as denominações cristãs, a Igreja Adventista do Sétimo Dia se destaca por sua visão integral acerca da saúde. Fundamentados em argumentos teológicos, os adventistas defendem que o cuidado com as dimensões física, mental e espiritual faz parte de uma experiência religiosa enriquecedora (1Ts 5:23; 3Jo 2). Entretanto, a Bíblia não fala de modo específico ou normativo sobre a prática de esportes.

No Antigo Testamento, existem poucas referências a práticas esportivas. De modo geral, essas atividades estavam mais relacionadas com habilidades militares do que com um treinamento esportivo ou momento recreativo (Jz 20:16; 1Sm 20:20-22, 35-38; 2Sm 2:18; 1Cr 12:2).

Por sua vez, o Novo Testamento, especialmente os escritos de Paulo, contém várias alusões aos esportes ou a temas relacionados (1Co 9:24-27; 2Tm 4:7; Hb 12:1). No entanto, o uso que o apóstolo faz desse assunto é ilustrativo. Parece evidente em seus textos que ele apenas se utiliza de exemplos conhecidos e validados por seu público-alvo primário como recurso retórico. É importante destacar que, em seus dias, os Jogos Olímpicos eram muito conhecidos e estavam intimamente relacionados com o paganismo.

Ellen White escreveu sobre atividades esportivas e, a partir de suas orientações, pode-se concluir que ela fazia distinção entre atividades físicas, atividades recreativas e atividades competitivas.

Em harmonia com seu pensamento acerca de saúde integral, a autora estimulou a prática de atividades físicas. Ela foi categórica ao afirmar que “os estudantes devem fazer exercício vigoroso” (2016a, p. 210). Em sua concepção, esses exercícios deveriam ser tarefas manuais úteis que, além de estimular o corpo, preparariam os jovens para a vida (2014, p. 354). Isso incluía o desenvolvimento de atividades em contato com a natureza (2016a, p. 212). Ademais, Ellen White apoiava a recreação sadia, que “proporciona descanso ao espírito e ao corpo” (ibid., p. 207). Mesmo os jogos com bola não eram de todo condenados por ela (2015b, p. 322), desde que se mantivessem dentro dos limites de uma brincadeira espontânea, sem desenvolver o espírito da rivalidade ou competição.

Por outro lado, Ellen White foi contundente ao reprovar atividades como “boxe, futebol [football], jogos de equipe e esportes com animais” (Carta 27, 1895; ver 2016a, p. 210). Ela tinha preocupações quanto à natureza de alguns esportes específicos, bem como com o perigo de que eles se tornassem todo-absorventes. Além disso, era totalmente contrária a atividades que promovessem qualquer traço de competitividade (2016b, p. 101, 102) ou alta estimulação física e mental (2004, p. 131; 2015a, p. 627).

Por anos, a prática de esportes em instituições educacionais adventistas foi tema de debates e questionamentos, especialmente ao Ellen G. White Estate. Em 1959, Arthur White publicou um documento intitulado “Sports in Seventh-day Adventist academies and colleges”, em que concluiu dizendo: “Vejo claramente a distinção entre um dia de recreação no qual certos jogos podem ser jogados e o desenvolvimento de times bem treinados em nossos institutos e faculdades, para engajamento em um programa esportivo.”

Em 1988, um documento da Associação Geral intitulado “Atividades competitivas” trouxe como exemplos de práticas que desenvolvem os aspectos físico, mental e espiritual as seguintes atividades ao ar livre: “natação, ciclismo, equitação, esqui, canoagem, ginástica, jardinagem, caminhada, acampamento, coleção de pedras, mergulho, exploração de cavernas” (2005, p. 32).

 

Princípios editoriais

  1. O uso de práticas esportivas como ilustração é um recurso possível, mas deve-se cuidar quanto à menção a determinados tipos de esportes, especialmente aqueles que incentivam a competitividade exacerbada, a violência, o desafio à vida e procedimentos como a mentira e a dissimulação.
  2. A prática de atividades físicas e recreativas condizentes com a visão integral de saúde adventista deve ser promovida nas diversas publicações produzidas pela igreja.
  3. Esportes agressivos, que expõem seus praticantes ao risco de morte, alinhados a filosofias contrárias à cosmovisão bíblico-adventista ou de reputação duvidosa não devem ser promovidos sob nenhuma circunstância.

 

Bibliografia

Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia. (2005). “Atividades competitivas” (p. 26-34), em Declarações da igreja. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

Graybill, R. (1974). Ellen G. White and competitive sports. The Ministry, julho (p. 4-7).

 

McArthur, B. (2018). Jogos e esportes (p. 1011-1014). Em Fortin, D., & Moon, J. (eds.). Enciclopédia Ellen G. White. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

Nieman, D. (1988). Do sports belong in SDA schools? Ministry, agosto (p. 4-9).

 

White, A. (1959). Sports in Seventh-day Adventist academies and colleges. Disponível em: <https://tinyurl.com/ybv4pzu4>.

 

White, E. (2004). Filhos e filhas de Deus. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

White, E. (2014). Conselhos aos professores, pais e estudantes. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

White, E. (2015a). Conselhos sobre saúde. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

White, E. (2015b). Mensagens escolhidas (v. 2). Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

White, E. (2016a). Educação. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

 

White, E. (2016b). Parábolas de Jesus. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira.

WordPress Image Lightbox