Saúde

Projeto Zika

A luta contra contra o Zika é de todos e a Igreja Adventista se mobiliza em todo o Brasil para fazer parte dessa batalha, através de seus diferentes departamentos.”

slide

MINISTÉRIO DA MULHER

  • Divulgação do canal de apoio e informações da IASD, disponível aqui.
  • Criação, nas igrejas, de grupos de apoio às mulheres gestantes com suspeita de infecção ZIKA
  • Desenvolvimento, nas igrejas, de classes ou programas de orientação e prevenção contra a infecção ZIKA para gestantes da comunidade
  •  Realização de campanhas de erradicação dos mosquitos nas igrejas e seus arredores, com distribuição de folhetos e orientação da população
  • Mobilização de grupos de mulheres para fiscalizar o bairro nos finais de semana, procurando por terrenos ou imóveis abandonados e notificando às autoridades de saúde do município
  • Criar o movimento “Mães contra o Zika”, onde podem ser promovidas ações de educação na comunidade para crianças e gincanas de localização e erradicação do mosquito pelos menores

CRIANÇA E ADOLESCENTE

  • Realização de concurso da ação mais criativa para erradicação do mosquito por Classe da Escola Sabatina
  • Realização de concurso do cartaz mais criativo para orientar a população por Classe da EscolaSabatina
  • Realização de ações de educação das crianças nas Classes da Escola Sabatina, no sábado pela manhã, pelas professoras, usando cartazes, bonecos do mosquito, etc…
  • Criação de grupo de WhatsApp, na igreja, entre as mães, para troca de informações e mobilização das ações
  • Realização da Gincana do Zika, envolvendo as crianças da igreja em times, para achar focos do mosquito, distribuir folhetos, criar ideias de ações, etc…

JOVENS E DESBRAVADORES

  •  Formação de grupos de Jovens nas Igrejas com camiseta personalizada , para participar das ações testemunhando do papel da IASD na mobilização social
  • Distribuição de folhetos e orientação do público em praças, escolas, semáforos, etc… podendo formar bancas ou quiosques para informação em locais públicos
  • Realização de campanhas públicas com caminhadas para fiscalização de áreas de risco (terrenos baldios e imóveis abandonados) com notificação às autoridades de saúde do município
  • Realização de ações coordenadas dos Clubes de Desbravadores do Distrito, em um domingo, para erradicação de focos do mosquito na igreja e seus arredores
  • Distribuição de folhetos de orientação para grávidas  em frente à maternidades públicas e Santas Casas
  • Realização de Cultos JA sobre o tema, para orientação da igreja e motivação para ação.
  • Realização de caminhadas públicas ou jornadas de ciclistas, no domingo, para chamar a atenção da população, com camiseta personalizada e distribuição de folhetos

Em todo o Brasil, mais de 200mil alunos da Rede de Educação Adventista estão envolvidos em projetos de educação, orientação e apoio à comunidade. Na Seção de Links, poderão ser encontrados diversos sites confiáveis com conteúdo relevante sobre o tema.

Perguntas Frequentes

O que é o Zika Vírus?

O Zika vírus é um microrganismo que invade a célula humana, após a picada da fêmea infectada do mosquito Aedes aegypti. Após a transmissão, inicia-se o processo de multiplicação (replicação viral) que após destruir a célula, espalha partículas virais outras substâncias na corrente sanguínea, provocando uma reação imunológica no corpo e os sintomas da doença. Além disso, novos mosquitos poderão ser infectados e transmitir o vírus a outros, ao picar alguém nesse estágio.

.

Como surgiu o Zika Vírus?

O vírus Zika é um vírus descoberto há pouco tempo, identificado inicialmente na Floresta Zika, em Uganda, na África no ano de 1947. Posteriormente, foi encontrado em seres humanos, em 1952, em Uganda e na Tanzânia e têm-se registrado surtos da doença do vírus Zika na África, nas Américas, na Ásia e no Pacífico.

Como o Zika chegou até o Brasil?

Muitas teorias estão sendo investigadas, mas até agora não há confirmação científica. A hipótese mais aceita é que o vírus veio das ilhas do Pacífico em agosto de 2014 durante o campeonato mundial de canoagem no Rio de Janeiro, sendo pouco provável que tenha vindo durante o evento da Copa do Mundo, quando o Brasil recebeu visitantes do mundo inteiro, mas poucos dessa região. Quanto ao mosquito, a teoria mais aceita indica que o Aedes aegypti tenha vindo da África para o continente americano por navios que chegaram ao Brasil para o tráfico de escravos. No final do século XIX, já houve registro da ocorrência da doença em Curitiba, e em Niterói, no início do século XX.

Por que o Zika Vírus se espalha tão rápido?

Por que utiliza de um vetor (transmissor) muito comum, o mosquito Aedes aegypti, que encontra um ambiente muito favorável para a proliferação em climas quentes. A fêmea do mosquito suga o sangue humano para amadurecer seus ovos e, se o mosquito estiver infectado, poderá transmitir o vírus neste processo. Em geral, os mosquitos sugam uma só pessoa a cada lote de ovos que produzem, mas pode variar e ele picar mais de uma pessoa. No caso da dengue, por exemplo, há relato de que um só mosquito infectado transmitiu a doença para cinco pessoas de uma mesma família, no mesmo dia. Além disso, o Aedes aegypti, é um mosquito doméstico, que vive dentro ou ao redor de domicílios ou de outros locais frequentados por pessoas, como lojas, escolas, igrejas, construções, por exemplo. Tem hábitos preferencialmente diurnos e costuma picar mais no período claro, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer, embora possa eventualmente também picar à noite. Uma fêmea pode dar origem a 1.500 mosquitos durante a sua vida, que chega próximo a 30 dias.

Quais os países da América do Sul que estão sob risco do Zika Vírus?

O Ministério da Saúde negou associação entre o uso de larvicidas e o aumento do número de casos de microcefalia no País. Informa que somente utiliza produtos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, mesmo assim, todos passam por um “rigoroso” processo de avaliação. A OMS também emitiu nota, referendando as informações do Governo Brasileiro.

Existe algum exame para saber se tenho Zika Vírus?

Sim. Já temos no Brasil quatro tipos diferentes de exames laboratoriais disponíveis para o diagnóstico do Zika Vírus. O último a ser autorizado pela ANVISA libera o resultado em até 20 minutos e faz o diagnóstico da doença mesmo após os sintomas cessarem. Outros dois exames disponíveis também fazem o diagnóstico mesmo após a pessoa eliminar o vírus do organismo. Inicialmente, o primeiro exame disponível no país só fazia o diagnóstico nos primeiros dias da doença, quando ainda haviam sintomas. Da mesma forma, incialmente, para o diagnóstico diferencial com a Dengue e Chikungunya, eram necessários três exames diferentes, fato já superado pelos atuais exames disponíveis, onde apenas um exame faz o diagnóstico das três doenças, mesmo fora do período dos sintomas.

Quais os sintomas da infecção pelo Zika Vírus?

Apesar de causar lesões graves, principalmente no feto, cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem nenhum sintoma. Entre as aquelas que apresentam, os principais são: dor de cabeça, febre leve ou até ausente, dores leves nas articulações em geral nas extremidades, manchas vermelhas na pele com coceira intensa e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas menos frequentes, mas que precisam de redobrada atenção: dormência nas extremidades, dificuldade para caminhar, inchaço no corpo, dor na garganta, tosse e vômitos. No geral, a evolução da doença é benigna e os sintomas desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves são raras, mas podem excepcionalmente, evoluir para óbito se não receberem atendimento hospitalar imediato.

Como o Zika Vírus é transmitido?

O principal modo de transmissão do vírus é pela picada do mosquito Aedes aegypti, sugando sangue com partículas virais de uma pessoa e injetando em outra. Contudo, embora ainda não tenham importância do ponto de vista da saúde pública, existem relatos de transmissão pela via sexual e transfusão de sangue. Além disso, o vírus já foi identificado na saliva, urina e leite materno. Vários estudos científicos estão sendo realizados para determinar se o vírus pode ser de fato transmitido por essas outras formas; por enquanto, a recomendação oficial é que as mães que tiverem Zika Vírus confirmada NÃO parem de amamentar seus filhos.

Existem outras formas de transmissão do Zika Vírus além do mosquito?

Estudos mostram que o vírus pode ser encontrado no sangue, saliva, leite materno e outros fluidos corporais, como urina e sêmen. Embora ainda não tenham importância do ponto de vista da saúde pública, existem relatos de transmissão pela via sexual e transfusão de sangue, mas até o momento, não há evidências definitivas de transmissão do vírus Zika por meio do leite materno, assim como pela urina e saliva. Até que se concluam todos os estudos sobre essas formas de transmissão, o ideal é se prevenir contra essas formas de contágio, especialmente as mulheres grávidas.

Posso beijar ou ter relações sexuais com alguém que tenha suspeita de Zika Vírus?

Estudos mostram que o vírus pode ser encontrado na saliva, mas ainda não há comprovação científica definitiva de transmissão por essa via. Quanto à transmissão sexual, existem relatos de transmissão, porém ainda não é considerado um problema de saúde pública, devido ao número pequeno de casos. Sendo assim, até que se concluam todos os estudos sobre essas formas de transmissão, o ideal é se prevenir contra essas formas de contágio, especialmente as mulheres grávidas, evitando o compartilhamento de pratos, talheres e copos, além de relação sexual desprotegida, com pessoas suspeitas de infecção por Zika Vírus.

Que outras doenças o mosquito Aedes aegypti pode transmitir além do Zica Vírus?

Pode transmitir a Dengue, a Chikungunya e a Febre Amarela.

O mosquito do Zika pode transmitir mais de uma doença ao mesmo tempo?

Embora possível na teoria, não há ainda relatos do mesmo mosquito transmitindo as três doenças (Dengue, Chikungunya e Zika) ao mesmo tempo, embora haja um caso descrito de um paciente na Colômbia que foi infectado pelas três doenças de uma vez, ao viajar por várias áreas de exposição ao mosquito.

Quem foi infectado pelo Zica Vírus pode ter a doença novamente?

Outros vírus parecidos com o Zika geram imunidade para a vida inteira. Quem já teve dengue pelo vírus 1, por exemplo, não voltará a ter pelo mesmo vírus. Como não há estudos suficientes, acredita-se que que uma vez infectado, o indivíduo não venha a ter uma nova infecção.

Existe vacina contra o Zika?

Atualmente, não existe nenhuma vacina disponível. Contudo, vários estudos estão sendo feitos, em diversos lugares do mundo, para produzir uma vacina.

Em quanto tempo vai haver uma vacina contra o Zika Vírus?

As previsões mais otimistas falam ser possível desenvolver uma vacina em 1 ano e as mais conservadoras em pelo menos 3 anos.

Existe tratamento para a infecção do Zika Vírus?

Assim como no caso da dengue e da chikungunya, não existe tratamento específico para a infecção pelo vírus Zika. O tratamento recomendado para os casos sintomáticos é baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) ou dipirona para o controle da febre e da dor, além de muito líquido e repouso. No caso das manchas vermelhas na pele, pode se usado os anti-histamínicos após avaliação médica. Devido ao risco complicações hemorrágicas, não se recomenda o uso de ácido acetilsalicílico (AAS) e outros anti-inflamatórios, até que se possa afastar com segurança o diagnóstico de dengue.

O que devo fazer se estou com suspeita de Zika Vírus?

Para jovens e adultos do sexo masculino, em geral, bastante líquido, repouso, analgésicos e antitérmicos são suficientes para controlar os sintomas; a doença é autolimitada, com sintomas leves e em geral não passa de 7-10 dias. Para crianças e idosos, é sempre necessária uma atenção maior, observando se não apresentarão agravamento dos sintomas, tornando necessária a busca de auxílio médico. Mulheres em idade fértil ou grávidas devem procurar um serviço médico, para confirmação laboratorial do diagnóstico e medidas apropriadas de acompanhamento ou prevenção da gravidez. Todos os casos suspeitos devem buscar confirmação médica do diagnóstico.

Quais os riscos do Zika Vírus para as grávidas?

Toda infecção representa algum risco para o feto e deve ser evitada com o maior esforço possível, especialmente nos primeiros três meses da gravidez. Especificamente em relação ao Zika Vírus, embora não haja estudos científicos concluídos sobre o assunto, há uma provável relação entre o vírus e a microcefalia, uma má formação fetal com sintomas neurológicos graves.

O Zika Vírus causa microcefalia?

Embora ainda não haja estudos científicos conclusivos sobre este tema, diversos órgãos e autoridades de saúde pública tem considerado altamente provável a relação entre o Zika Vírus e a microcefalia, uma má formação fetal com sintomas neurológicos graves. Então, por causa da possível associação entre a infecção Zika e microcefalia, as mulheres grávidas devem tomar todas as medidas possíveis para evitar as picadas de mosquito.

Em que momento da gestação o Zika Vírus pode causar microcefalia?

O primeiro trimestre da gestação é sempre o mais delicado, em qualquer situação, independentemente do Zika. É neste período que as mais delicadas estruturas do feto estão em formação, incluindo o sistema nervoso central, e portanto o risco de microcefalia está presente nesta etapa e até o final do quarto mês. Após este período, embora não haja mais o risco da microcefalia, ainda poderá haver uma série de danos ao feto, inclusive neurológicos. Sendo indicado que as mulheres mantenham o máximo de cuidado para prevenir infecções, incluindo o Zika Vírus, por todo o período de gravidez.

O Zika Vírus pode causar outros danos para o feto além da microcefalia?

Sim. Qualquer infecção, incluindo o Zika Vírus, poderá causar uma série de danos ao feto, desde pequenas alterações de peso e tamanho até a possibilidade de danos neurológicos graves, que não a microcefalia.

Toda mulher grávida que apresentar sintomas de Zika vai ter um bebê com microcefalia?

Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus Zika não desenvolvem manifestações e isso também serve para as grávidas. Dessa forma, muitas mulheres podem ter tido Zika durante a gravidez e não apresentaram fetos com microcefalia.

Como uma grávida pode se prevenir contra o Zika Vírus?

  • Usar repelente nas áreas como mãos, pescoço, rosto, pernas e todas as partes do corpo que vão ficar mais expostas. A maior parte das marcas comerciais é de uma substância que as grávidas podem utilizar, mas é bom ficar atento às indicações do rótulo.
  •  Evitar a exposição nos horários de pico do mosquito – amanhecer e anoitecer – e, na medida do possível, usar as barreiras mecânicas, como roupas de manga comprida, calça comprida além de colocar telas nas janelas e portas de casa. O uso de vitamina B12 como repelente não tem se mostrado eficaz.

Uma mãe que apresente infecção pelo Zika Vírus pode amamentar?

Sim. A recomendação oficial até o momento é que mães diagnosticadas com Zika Vírus NÃO deixem de amamentar, uma vez que embora o vírus tenha sido identificado no leite materno, ainda não se comprovou sua transmissão por essa via.

Se eu tive uma infecção pelo Zika Vírus, depois de quanto tempo posso engravidar?

Atualmente, não há nenhuma evidência para sugerir que o Zika Vírus, depois de ser eliminado do sangue, represente um risco de defeitos de nascimento para futuras gestações. O Zika Vírus geralmente permanece no sangue de uma pessoa infectada por cerca 7-10 dias e até o momento não existe uma recomendação oficial de evitar a gravidez após este período. Contudo, alguns médicos, por cautela, têm recomendado às suas pacientes que aguardem entre 1 a 8 meses para engravidar, embora essa seja uma conduta individual de cada profissional.

Estou pensando em engravidar. Devo adiar esse plano?

Esse é um risco que deve ser muito bem avaliado em cada caso. De maneira geral, embora não haja uma recomendação oficial, a maioria dos profissionais de saúde tem recomendado a suas pacientes que aguardem alguns meses, até que passe o verão e a proliferação de mosquitos diminua. Por outro lado, alguns profissionais estimam que no próximo verão a disseminação do Zika seja maior ainda e que por isso as pacientes não devem adiar a gravidez. Dessa forma, cada paciente deve discutir com seu médico e sua família qual a melhor decisão a tomar.

O que é a Síndrome de Guillain-Barré?

A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença do sistema nervoso causada por agentes infecciosos, como vírus e bactérias. Tem como sintoma a fraqueza muscular e a paralisia progressiva e ascendente dos músculos. Os sintomas podem começar pelas pernas (ou em alguns casos, pelos braços), podendo, em seguida, irradiar para o tronco, braços e face. Com a evolução da doença, a fraqueza pode atingir o tronco, braços, e afetar os músculos da face, da deglutição e da respiração. Nesse último caso, a síndrome pode levar à morte, porque a pessoa não consegue respirar.

O Zika Vírus pode causar a Síndrome de Guillain-Barré?

Embora ainda esteja em fase de comprovação científica definitiva, a associação entre o Zika Vírus e Síndrome de Guillain-Barré tem sido considerada como altamente provável pela maioria dos profissionais e autoridades de saúde pública.

Vacinas vencidas podem causar microcefalia?

O Ministério da Saúde esclarece que todas as vacinas fornecidas pelo Programa Nacional de Imunização são seguras e não há nenhuma evidência na literatura nacional e internacional de que possam associar o uso de vacinas com a microcefalia. O controle de qualidade obedece aos critérios estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) tanto no laboratório produtor, quando no controle realizado pelo Ministério da Saúde.

O uso de larvicidas pode ter causado microcefalia?

O Ministério da Saúde negou associação entre o uso de larvicidas e o aumento do número de casos de microcefalia no País. Informa que somente utiliza produtos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, mesmo assim, todos passam por um “rigoroso” processo de avaliação. A OMS também emitiu nota, referendando as informações do Governo Brasileiro.


materiais

    Atenção! O tamanho do Widget selecionado é incompatível com esta Sidebar. Por favor, reveja suas configurações.