AFAM

Eu não assisto novela

Mas tenho que confessar que já assisti! Eu era novinha e gostava de acompanhar as histórias e as tramas que eu julgava muito bem elaboradas. Felizmente acordei a tempo. Mas não pense que decidi escrever sobre esse assunto para ficar aqui falando sobre o que “eu” penso das novelas. Não vou fazer isso. Vou apenas mostrar pra você algumas declarações e pesquisas
que apontam para constatações muito importantes sobre o assunto. No fim, a conclusão será sua.

1 | Uma pesquisa feita pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) sugere uma ligação entre as
novelas de uma grande emissora brasileira e um aumento no número de divórcios no Brasil nas últimas décadas.
Publicada pela BBC.com, a pesquisa leva em conta os censos dos anos 70, 80 e 90 e o alcance da emissora em todo o país. Para os autores, Alberto Chong e Eliana La Ferrara, “a parcela de mulheres que se separam ou se divorciam aumenta significativamente depois que o sinal dessa emissora se torna disponível”.

2 | Veja o que Glória Perez, uma famosa autora de novelas, declarou no Twitter a respeito de uma de suas
produções: “Eu sempre quis escrever para mobilizar, o sucesso é isso: provocar a exaltação dos sentimentos: encantamento,
raiva, deboche, frisson, debates, tudo movido a paixões descontroladas. A única coisa mortal, para uma novela, é a indiferença”.

3 | Na página da Isto É Dinheiro, de 2 de novembro de 2012 encontrei uma pesquisa feita pela Sophia Mind que mostrou que 83% das brasileiras assistem a alguma novela. A pesquisa indica que essa alta assistência reflete nos
hábitos de consumo: as roupas (76%) e os cabelos (59%) das personagens são o que mais se destacam. O visual das atrizes influencia 77% das entrevistadas na hora de pintar a unha, 70% na maquiagem, 65% quando vão cortar o cabelo, e 66% admitiram já ter comprado roupas inspiradas nas personagens. O impacto da propaganda também é impressionante: 89% das mulheres disseram perceber a publicidade feita nas novelas e 49% afirmaram já ter adquirido algum produto ou serviço por conta da trama.

4 | O “Manual de Atenção à Saúde do Adolescente”, feito pela Coordenação de Desenvolvimento de Programas
e Políticas de Saúde de São Paulo, em 2006, destacou: “Os jovens têm recebido um alto conteúdo sexual nas programações e propagandas veiculadas pela TV, através de mensagens que valorizam o sensacionalismo, a erotização, as relações casuais […]. Nas novelas e seriados, a maioria dos atores são jovens e belos, mudam constantemente de parceiros, não usam métodos contraceptivos nem de proteção contra DST e, mesmo assim, não se contaminam, não engravidam e os finais são sempre felizes”. Esse alerta foi feito nove anos atrás, imagine como estão as coisas hoje!

5 | Notícia publicada no UOL, em 13 de maio de 2014, falando sobre as estratégias para alcançar altos números no Ibope, afirmou: “O autor Manoel Carlos vai explorar ao máximo a sensualidade de Bruna Marquezine nos capítulos da próxima semana de Em Família.
A atriz de 18 anos vai protagonizar três cenas de sexo em apenas dois capítulos, numa tentativa de levantar a audiência
da novela, que registra médias semanais inferiores a 30 pontos”. Humm…. é assim que eles fazem para tentar prender a nossa atenção!

6 | Uma das novelas que está no ar, em uma das grandes emissoras brasileiras, tem como título “Babilônia”.
Nome bem sugestivo, não acha? Estive pesquisando e encontrei o comentário que um crítico de novelas fez no dia seguinte ao primeiro capítulo dessa trama. Maurício Stycer escreveu e publicou no UOL: “Houve beijo na boca entre duas senhoras na faixa de 80 anos de idade, duas cenas de sexo casual, golpe do baú, traição, menina ingênua enganada por homem casado, gravidez indesejada, exploração na fila de transplantes, duas chantagens, um atropelamento e um assassinato. Em outros tempos, essas situações poderiam ocorrer ao longo de uma novela inteira”. Enfim, é isso o que está por aí…

Bom, você leu tudo isso e talvez esteja racionalizando: “Ah, mas é só um ‘divertimentozinho’ rápido!”. Tem certeza?
Calcule comigo: suponhamos que uma novela tenha 40 minutos de duração, seja transmitida de segunda à sábado, e dure seis meses. Pois bem, o total de horas gastas assistindo esse “divertimentozinho” rápido será de 102 horas. E 102 horas de muita técnica utilizada por profissionais extremamente bem preparados para incutirem informações em sua mente. Acha mesmo que isso não vai causar nenhum impacto em sua vida e nem na vida de seus filhos?

Tem um ditado bem popular que diz que “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Um minuto, 10, 20, uma hora, três horas, cinco, 10, 20, 30… 80 horas… 100… 102 horas… pode ter certeza: vai furar!!

WordPress Lightbox